Home > Notícias > Detalhes
Notícias
14/06/2017 09h24
Mulher dada como morta é salva por policiais no último minuto: ?Nasci de novo?

Fonte: Banda B

Rita de Cássia Fagundes, moradora de São José dos Pinhais, na região metropolitana de Curitiba, agora tem dois aniversários para comemorar. A mulher, de 53 anos, foi dada como morta e já estava com o corpo coberto quando dois anjos de carne e osso apareceram para salvá-la: os soldados Dhonattas Ricardo Biló e Kayque Rennan Chorne.

O caso aconteceu no começo do mês, quando os policiais militares receberam um chamado para atender um achado de cadáver em uma residência. “Como o portão estava trancado, nós pulamos para dentro e encontramos uma mulher no chão, toda coberta. A dona da casa nos disse que se tratava da vizinha dela, que já estaria morta. Quando eu me aproximei do corpo, percebi que não havia batimento no pulso, só na traqueia, e que ele estava bem fraquinho. Na hora, eu pediu o apoio do Siate”, contou o soldado Biló em entrevista à Banda B.

Antes da chegada da ambulância, no entanto, Rita sofreu uma parada cardiorrespiratória. “Ela parou de respirar e nós começamos a fazer a massagem cardíaca e respiração boca a boca. A reanimação durou cerca de 10 minutos e, então, ela abriu os olhos. Em seguida, começou a voltar a si. Quando vi que ela mexeu os dedos, sabia que tudo ia ficar bem”, completou Biló.

Já acordada, Rita foi socorrida e encaminhada ao hospital. Ela se recuperou bem, voltou para casa e, nesta terça-feira (13), se reencontrou com os anjos que a salvaram. “Bastante emocionada, ela chorou e abraçou a gente. Ficamos sabendo também que a neta dela nasceu uns dias depois do ocorrido e ela nos agradeceu por ter tido a oportunidade de conhecê-la”.

“Eles me deram a minha vida de volta”

Apesar de não se lembrar de muita coisa, Rita contou à reportagem que jamais vai esquecer o que os soldados fizeram por ela. “A minha vizinha me falou que eu escorreguei em uma poça d’água, como chovia bastante naquele dia, e bati a cabeça. Ela ficou desesperada, achou que eu estava morta, mas os policiais chegaram e fizeram a reanimação”, relatou.

Muito emocionada, ela aproveitou o reencontro de hoje para abraçar os seus salvadores. “Dias depois, a minha neta nasceu. Eles me deram a minha vida de volta, eu nem tenho como agradecer”, finalizou.

Comentários
# Nome
# E-mail
# Comentário
# Verfficação (digite as palavras da imagem no campo de texto)
Nenhum comentário foi localizado. Seja o primeiro a comentar!
Exibir mais comentários
Encontre no site da AMAI
Enquete
Bombeiros militares, associados à AMAI, estão interessados em participar do CFC / CFS BM 2017?
Jornal AMAI
Assine nossa newsletter
# Nome
# E-mail
# CPF
# É associado?
     
© 2012 AMAI Associação de Defesa dos Direitos dos Policiais Militares Ativos Inativos e Pensionistas. Todos os direitos reservados.