Home > Notícias > Detalhes
Notícias
04/01/2017 11h12
Exemplo de policial militar
Not�cias

Tem circulado nas redes sociais estas comoventes imagens do Cabo Lourenço, policial militar que ajudou no resgate às vítimas de um acidente com um ônibus na PR -317, em Campo Mourão, na madrugada de terça-feira (03), no qual morreram sete pessoas.

Recentemente ele foi humilhado por uma mulher, sofrendo injúria racial, mas todo o preconceito não foi maior do que o seu amor pela profissão, não apenas combatendo a criminalidade, mas também protegendo a população e ajudando a salvar vidas!

A segurança e o carinho que a criança da foto recebe do policial mostra o quanto o amor pode superar todo e qualquer preconceito.

Parabéns Cabo Lourenço, pelo excelente trabalho realizado! 

Comentários
# Nome
# E-mail
# Comentário
# Verfficação (digite as palavras da imagem no campo de texto)
06/01/2017 - 17h26
MARCO AURELIO FAHUR
Trabalhei com o Cabo Lourenço em Campo Mourão entre 2006 e 2011. Sempre foi um policial de conduta irrepreensível. Pessoa humilde em seus atos e sempre correto no agir. Trabalhar com pessoas assim nos engrandece. Fica nosso elogio, independente do atendimento da ocorrência acima. Continue nesta luta nobre colega. Cap Fahur
05/01/2017 - 00h31
ademir de almeida
Cabo Lourenço exemplo vivo de superação.... Parabéns Guerreiro......
04/01/2017 - 21h36
Helio Nojehovsi
Parabéns Cb Lourenço , essa é a Policia do povo, faz o bem sem olhar a quem, é a Polícia de verdade que está 24 horas na rua a disposição de quem precisar dela, não é a quela interna que faz plantão de segunda a sexta. Pena que a sociedade não sabe reconhecer.
06/01/2017 - 14h49
borre
Sr. Helio, não sei se vc é pm ou não, é bom, bonito e louvável elogiar ações, atitudes, iniciativas, comportamentos, enfim, aqueles que agem com profissionalismo, porém não digno criticar indevidamente pessoas pelos que elas fazem, sem medir responsabilidade.
Sou PM a 29 anos, trabalhei muito na rua, fui operacional,Comandei DPM, hoje no Adm, julgo meu trabalho importante e necessário, assim com todos que trabalham administrativamente, a fim de dar sustentabilidade para o serviço operacional. Desculpa aí, é somente um desabafo.
04/01/2017 - 18h44
osvaldo rabelo
Exemplos como esse faz com que a gente sinta orgulho de pertencer a Polícia Militar. Parabéns ao Cabo Lourenço, que sua atitude seja um exemplo para os demais companheiros.
04/01/2017 - 17h32
valdinei fernandes feliciano
INFELIZMENTE AS INJÚRIAS, DIFAMAÇÕES, CALÚNIAS, QUALQUER QUE SEJA A TIPIFICAÇÃO CRIMINAL DADA ÀS OFENSAS QUE SÃO IRROGADAS ÀQUELES QUE DÃO A VIDA EM PROL DO SEMELHANTE DEVE SER DIGNA DE REPULSA. VI O VÍDEO ENVOLVENDO A SITUAÇÃO DO CABO LOURENÇO, CRASSO EXEMPLO "NÃO" DE UMA MÃE EM DEFESA DA PROLE SOB A INFLUÊNCIA DE EMOÇÕES. NÃO! OFENSA PURA E GRATUITA. TAIS EXEMPLOS DE OFENSAS SÃO SOFRIDAS POR VÁRIOS MILITARES DIARIAMENTE. A EDUCAÇÃO É UM CAMINHO, MAS A "PENA", QUER SERJA PECUNIÁRIA (CIVIL) OU NA ESFERA PENAL É UM OUTRO CAMINHO. PARA QUE SIRVA DE EXEMPLO PARA QUE OUTROS NÃO COMETAM O MESMO ERRO. NÃO FOI O BATMAM, OU O SUPERMAN, OU O "JUIZ MORO" (SIC) OU QUALQUER OUTRO HERÓI QUE FOI SALVAR A INFANTE, MAS O CABO LOURENÇO, COM CERTEZA COM OUTROS HERÓIS ANÔNIMOS. A ELES MEUS RESPEITOS.
04/01/2017 - 17h09
D.H.
O SONHO DOS MORADORES DA VILA MILITAR DO PILARZINHO É A REGULARIZAÇÃO, REURBANIZAÇÃO E A REVITALIZAÇÃO, O DIREITO A MORADIA E A PROPRIEDADE A TODOS, NÃO SÓ A ALGUNS.

O SONHO É BASILAR PARA O SER HUMANO! Charles Chaplin costumava dizer: Quando deixares de sonhar, poderás continuar vivendo, mas, com certeza, terás deixado de existir. Nos sonhos se alicerçam os anseios mais caros, os projetos de toda uma vida, o respeito por si mesmo, a autoestima e o dinamismo de viver.
Um dos sonhos indispensáveis nessa caminhada, que chamamos de vida, é o de ter a nossa própria casa! Um lugar só nosso, fruto de bons serviços prestados no passado, que reafirma nossa dignidade, amparo e respeito perante a família.
A casa é o nosso domicílio, o endereço certo, o lugar que nos identifica, que parece conosco. É o nosso lar, onde nossa família floresce e os valores são ensinados e partilhados. É o reduto dos entes queridos, o aconchego onde encontramos paz e reabastecemos nossas energias, com repouso e alegria para as lutas diárias.
Mais do que um sonho, a questão da moradia deve ser interpretada como um espaço de organização coletiva, de integração e de construção da cidadania, que oportunize a formação de laços de solidariedade, pois dentre os direitos fundamentais, temos garantido o direito de propriedade, que atenderá a sua função social conforme o Art. 5°, incisos XXII e XXIII da Constituição Federal de 1988 e trata-se de um direito social fundamental e harmônico ao princípio da dignidade humana.

Em 1963, a Corporação concluiu as obras da PRIMEIRA VILA MILITAR no Pilarzinho, com mão de obra das Praças e as casas com excelente estrutura foram cedidas a Cabos, Soldados e respectiva família para Ocupação e Uso, mediante a apresentação das cópias da Ficha de Corretivos e Certidão de Casamento, SEM exigência de CONTRATO por ser um BENEFÍCIO SOCIAL oferecido pelo Governo da época. O Nobre Comandante exigiu apenas a contribuição da TAXA de OCUPAÇÃO E USO, estipulada em 10º do antigo SOLDO e com a finalidade de suprir o ALMOXARIFADO do Conjunto de materiais para pequenos reparos.
http://www.arquivopublico.pr.gov.br/arquivos/File/pdf/Mensagem_1963_MFN_1664.pdf Página 73

Atualmente IDOSOS e tratados como INQUILINOS, mesmo SEM CONCORDAR no ano de 1.999 em assinar o Malfadado TERMO DE COMPROMISSO OCUPAÇÃO E USO DE RESIDÊNCIA com cláusulas baseadas na LEI DO INQUILINATO e por não concordarem com o prazo de 1 ano para permanecerem em suas moradias. Ademais, em 1.999 já residiam na VILA MILITAR há 35 anos e haviam realizado reformas e ampliações devido ao crescimento familiar, com autorização de gestões anteriores.
NINGUÉM, EM SÃ CONSCIÊNCIA ASSINARIA CONTRATO PARA PERDER O MAIOR BENEFÍCIO SOCIAL OFERECIDO PELO IDEALIZADOR DO CONJUNTO.

Foram tantas PROMESSAS durante décadas: 1- AS CASAS SERIAM DOADAS, 2- SERIAM VENDIDAS, 3- SERIA CONSTRUIDO NOVO CONJUNTO E TODOS SERIAM REMOVIDOS PARA CASAS NOVAS.
Mas, as promessas não foram cumpridas e a maioria dos Cabos e Soldados beneficiados com a MORADIA ADEQUADA na primeira Vila Militar da Capital acabaram morrendo sem terem seus DIREITOS CONSTITUCIONAIS resguardados.
A falta da segurança jurídica causou diversos transtornos, sofrimento e HUMILHAÇÃO para a família do Militar falecido.
*
FINALMENTE, PASSADOS 52 ANOS, A BOA NOTÍCIA DE 2017. Ou talvez, mais uma ENGANAÇÃO: Uma nova tentativa para que os moradores assinem O MESMO MALFADADO CONTRATO apresentado em 1999
NINGUÉM, EM SÃ CONSCIÊNCIA ASSINARÁ CONTRATO PARA PERDER O MAIOR BENEFÍCIO SOCIAL OFERECIDO PELO IDEALIZADOR DO CONJUNTO.
A LEI DO INQUILINATO de 1991, NÃO PODE RETROAGIR PARA CANCELAR DIREITOS SOCIAIS GARANTIDOS NA CONSTITUIÇÃO FEDERAL E CONQUISTADOS EM 1963 COM A CESSÃO PARA OCUPAÇÃO E USO DAS MORADIAS.

Recentemente os moradores receberam a informação que o Conjunto será REGULARIZADO e que todos os moradores poderão COMPRAR a moradia que habitam há décadas.
A maioria é idosa e certamente não conseguirão o financiamento da CEF, conforme comprovado em simulação para adquirir um imóvel em novo empreendimento imobiliário no mesmo bairro onde vivem.
SIMULAÇÃO em que se constatou que tal financiamento seria muito oneroso, dependendo da idade a entrada seria de R$ 70mil ou mais e prestações mensais de aproximadamente R$ 1.200,00 em um prazo de 20 anos para quitar. Além disso, perderiam o benefício social e os investimentos INTERNOS realizados em sua moradia atual. Tais como: substituição de assoalhos que cederam por lajes de concreto e pisos cerâmicos, forro, portas, janelas, sistema hidráulico e elétrico que se deterioraram com a ação do tempo. Faltando apenas a substituição dos telhados que já não suportam as fortes chuvas e pinturas externas com a cor preferida de cada morador, que ainda não fizeram devido aos últimos acontecimentos que causou desânimo e muito estresse.
Além da reurbanização, que depende do Poder Público: Ruas, postes e rede elétrica muito próximas das casas, dificultando a execução de calçadas para maior segurança de todos.

OS MORADORES DA VILA MILITAR ESTÃO EM ALERTA PARA QUE FINALMENTE SEJA CUMPRIDA A PROMESSA.

Então, que a prometida regularização seja realizada conforme o Plano Diretor de Curitiba, assegurando a titulação das casas e dos terrenos em nome dos moradores mantendo as famílias no mesmo bairro onde vivem há décadas; mantendo assim o vínculo social de anos de convívio.,
Garantido o direito de propriedade, que atenderá a sua Função Social conforme o Art. 5°, incisos XXII e XXIII da Constituição Federal de 1988.
A Regularização Fundiária é tão importante quanto a construção de novas moradias, garante o JUSTO TITULO DE PROPRIEDADE e a manutenção das famílias no mesmo bairro onde vivem, mantendo assim o vínculo social de anos de convívio,

É URGENTE o apoio das PESSOAS DE BEM e as Associações de classe no sentido de convencer as autoridades competentes a garantir o Direito Constitucional a Moradia e a Propriedade aos policiais e familiares que vivem há décadas na insegurança e em pela falta do JUSTO Título de Propriedade.
NÃO SE TRATA APENAS DE QUATRO PAREDES, TRATA-SE DE FAMÍLIAS DE POLICIAIS QUE PRESTARAM BONS SERVIÇOS NO PASSADO E FORAM AGRACIADOS EM 1963 PELO NOBRE COMANDANTE DA ÉPOCA, COM A MORADIA ADEQUADA.
DEUS PROVERÁ!


O Estado de Santa Catarina foi pioneiro no reconhecimento de que os policiais da Base beneficiados no passado com a MORADIA ADEQUADA, merecem o respeito e tratamento humanitário ao garantir o direito a moradia e a propriedade previstos na Constituição Federal e essenciais para a dignidade humana da Família Militar.

Bombeiros e policiais esperavam há 16 anos pela regularização dos terrenos que haviam sido cedidos para construção de suas moradias. Apesar de terem as casas no local há tanto tempo, eles tinham apenas a cessão de uso, mas não tinham perspectivas acerca da propriedade.
http://wp.clicrbs.com.br/itajai/2011/01/26/moradores-da-vila-militar-em-balneario-camboriu-terao-direito-a-escritura-de-terrenos-onde-vivem/
Com o pagamento de uma TAXA SIMBÓLICA, os moradores conquistaram o Registro de Propriedade dos terrenos e das casas onde vivem há décadas.
Famílias moradoras na Vila Militar de São Bento do Sul serão beneficiadas com o Programa Direito de Morar.
http://www.saobentodosul.sc.gov.br/noticia/11879/encontro-trata-sobre-regularizacao-de-imoveis#.VluFENKrS1t

NO RS, ESTÃO RESOLVENDO O PROBLEMA DE MORADIA DOS POLICIAIS.
http://www.diariodecanoas.com.br/_conteudo/2016/07/noticias/regiao/370953-bm-recebera-doacao-de-terrenos-para-moradias.html

NO PARANÁ, QUANDO ESTE PROBLEMA SERÁ RESOLVIDO?
04/01/2017 - 12h48
Jonatas Lucas Winck
Parabéns Cabo Lourenço pelo trabalho exemplar.
04/01/2017 - 12h13
VERDADES INCOMODAM
UM LINDO SERVIÇO PRESTADO POR UM MILITAR A SOCIEDADE E A ATIVIDADE FIM QUE SE DESTINA A PMPR A QUAL FIZEMOS JURAMENTO DE SERMOS PRESTATIVOS UM DIA, "DAR A VIDA SE PRECISO FOR!"
O GRADUADO NA FOTO TRATA SE DE UM CABO DA POLÍCIA MILITAR, PELA SUA FARDAMENTO JÁ "SURRADO" MUITO USADA TEM COM CERTEZA ABSOLUTA MUITO TEMPO DE CASERNA E O QUE SE VERIFICA A SEPARAÇÃO,OBSTRUÇÃO POR TODOS OS MEIOS DAS PRAÇAS SEGUIR CARREIRA. QUALQUER CIDADÃO AO DEPARAR COM UM MILITAR NESSAS CONDIÇÕES TEM ABSOLUTA CERTEZA SÃO IMPEDIDOS DE SEGUIR. SABEMOS QUE SÃO AS PRAÇAS, BASE DA CORPORAÇÃO QUE EXECUTAM TODAS AS ATIVIDADES FINS DA INSTITUIÇÃO. DEPOIS VEM UM ELOGIO FALSO EM BOLETIM COMO SE ELOGIO OU FICAR EM PÉ NUMA FORMATURA SATISFIZESSE TODOS O SEUS DEJESOS NO FIM DO MÊS! PRECISO "DAR A CEZAR O QUE É DE CEZAR" !
Exibir mais comentários
Encontre no site da AMAI
Jornal AMAI
Enquete
Bombeiros militares, associados à AMAI, estão interessados em participar do CFC / CFS BM 2017?
Assine nossa newsletter
# Nome
# E-mail
# CPF
# É associado?
     
© 2012 AMAI Associação de Defesa dos Direitos dos Policiais Militares Ativos Inativos e Pensionistas. Todos os direitos reservados.