Home > Institucional > História
História

Em 1978, a nova Constituição Brasileira manteve a proibição de sindicalização e de realização de greve aos policiais e bombeiros militares, iniciando nesta época uma luta para defender os direitos da categoria. Porém, esta defesa sempre esteve a cargo de pessoas ou grupos isolados.

Por volta de 1986, quando eleito presidente do Clube dos Oficiais da PMPR, o coronel Elizeo Ferraz Furquim e mais alguns companheiros de farda, começaram a utilizar o espaço do Clube para realizar reuniões e pequenas movimentações em busca de benefícios para a classe militar.

Um movimento expressivo da categoria e ignorado pelo Governo, levou a diretoria do Clube dos Oficiais a ingressar com uma ação judicial. A negativa do juiz, alegando que a autora não era parte legítima para buscar o direito dos policiais militares, conduziu o grupo de amigos a pensar sobre a possibilidade de criação de uma associação destinada a este fim: buscar e garantir os direitos dos policiais e bombeiros militares , com representação em todos os postos e graduações.

Foram vários anos de estudos, até que em 1991, durante uma Assembleia Geral que reuniu cerca de 50 pessoas, a AMAI – Associação de Defesa dos Direitos dos Policiais Militares Ativos Inativos e pensionistas foi constituída. Os presentes assinaram a ata, o estatuto foi aprovado e a primeira diretoria foi empossada, sob a presidência do coronel PMRR Goro Yassumoto e vice-presidência do coronel PMRR Elizeo Ferraz Furquim.

Inicialmente, a Associação possuía apenas uma listagem com o nome dos militares interessados em associar-se. A liberação do código de descontos foi realizada apenas em 1995, no início do governo Jaime Lerner, possibilitando o desconto da mensalidade da AMAI no contracheque dos policias, bombeiros militares e pensionistas. Aos poucos, com muito trabalho de angariação de sócios na capital e no interior, a AMAI foi crescendo e ampliando a sua assistência jurídica, ingressando com mais de 90 ações judiciais em busca dos direitos da classe, até agora.

A primeira sede administrativa da Associação foi conquistada em 1995, quando uma pequena sala foi alugada no Bairro Jardim Botânico (ao lado do Hospital da Polícia Militar), permanecendo no local por alguns meses, sendo posteriormente transferida para uma sala na Rua Engenheiro Rebouças, no Bairro Rebouças. Com o crescimento gradativo da AMAI, em 2000, a sede foi transferida para um espaço maior, na Avenida Getúlio Vargas, no mesmo bairro, onde permanece até hoje.

Ainda no ano 2000 foi criada a Farmácia do Miliciano, devido à necessidade de oferecer aos associados um local para a compra de medicamentos com valores acessíveis. Uma vez que a única farmácia destinada a este fim, localizada no quartel do Corpo de Bombeiros da PMPR, havia sido fechada.

No final de 2008, a AMAI teve mais uma grande conquista: a criação do SICOOB – COOMEIA – Cooperativa de Crédito Mútuo dos Policiais Militares Ativos e Inativos do Estado do Paraná, através de uma parceria com a Cooperativa de Crédito SICOOB, com a finalidade de ser uma alternativa financeira mais viável que o sistema bancário convencional, promovendo juros baixos e facilidades de crédito.

Desde a sua fundação, diversas movimentações foram realizadas com o apoio da Associação, com o objetivo de fazer valer os direitos da categoria. Entre elas, destaca-se a mobilização das esposas dos policiais militares, realizada em 2001, quando as mulheres chegaram a fechar quartéis em todo o Paraná, reinvidicando por melhores salários e melhores condições de trabalho. Outro grande destaque foi o trabalho realizado em busca da remuneração por subsídio. Foram mais de 10 anos de estudos, diversas mobilizações e audiências públicas realizadas em todo o Estado.

Hoje, com mais de 20 anos de existência, a AMAI continua trabalhando em busca dos direitos dos policiais e bombeiros militares, ativos, inativos e pensionistas. Adquiriu um imóvel nas proximidades da atual sede (na Avenida Marechal Floriano Peixoto, nº 1.557), e tem projetos para um crescimento ainda maior, ampliando os recursos oferecidos aos seus associados na área jurídica, de saúde, educação e lazer.

Encontre no site da AMAI
Enquete
Bombeiros militares, associados à AMAI, estão interessados em participar do CFC / CFS BM 2017?
Jornal AMAI
Assine nossa newsletter
# Nome
# E-mail
# CPF
# É associado?
     
© 2012 AMAI Associação de Defesa dos Direitos dos Policiais Militares Ativos Inativos e Pensionistas. Todos os direitos reservados.