Notícias

12/06/2018 15:30

Policiais que vendiam armas para o crime e faziam parte de quadrilhas do tráfico são presos

Policiais que vendiam armas para o crime e faziam parte de quadrilhas do tráfico são presos
Fonte: Banda B

Ao todo, 23 pessoas foram presas na operação, que contou com 380 policiais e 120 viaturas

O 22º Batalhão de Polícia Militar (BPM) prendeu seis policiais militares suspeitos de participarem de uma mega quadrilha do tráfico de drogas em Colombo, na região metropolitana de Curitiba. Eles foram presos junto com outras 17 pessoas, em uma ação de duas operações comandadas pelo Batalhão, com 380 policiais e 120 viaturas, batizadas de Visconde do Rio Branco e Spectrus. Ao todo, 96 mandados judiciais foram cumpridos nessa terça-feira (12).

 

Quatorze pessoas tinham sido presas, antes das 6 horas. Mais três foram somados aos suspeitos e também presos durante a manhã. Nove armas de fogo, duas longas, e 4 quilos de drogas foram apreendidos na operação. A quantia de R$ 48 mil com origem da compra e venda da droga também foram apreendidos. A operação contou com uma aeronave e também um drone.

De acordo com o tenente coronel, Sérgio Augusto Ramos, comandante do 22º BPM, o na rua José Maria Paranhos, no bairro Guarani, o tráfico movimentada a quantia de R$ 17 milhões por ano. “É uma rua próxima a Curitiba, os usuários, na grande totalidade eram moradores da capital, que vinham até Colombo para comprar as drogas. Ela tinha a divisão de três pontos, esses locais eram os principais, um envolvia a maconha, outro a cocaína e o terceiro o crack. Era uma situação muito bem distribuída, organizada, eles tinham escalas de serviços, com horários e a presença de menores de idade. Isso tudo dava essa movimentação em dinheiro, como se fosse uma empresa”, detalhou à Banda B.

A Corregedoria da PM foi inclusa na operação diante da participação dos seis policiais, cinco deles, já afastados em outars situações. “Os policiais tinham relação com tráfico de drogas, extorsão e venda de armas. Tinham policiais envolvidos com o tráfico de drogas, que faziam extorsão de traficantes e envolvidos em venda de armas”, explicou o comandante.

Todos os presos são de carreiras de praças – cabos soldados. Para o tenente coronel, o envolvimento deles na operação foi surpresa para a corporação. “A descoberta disso é sempre uma surpresa, aqui na área do Batalhão são 495 policiais, infelizmente, existem alguns que não possuem conduta adequada”, detalhou.

Segundo as investigações, a droga vinha do Mato Grosso. Outros mandados judiciais de busca e apreensão aconteceram em Curitiba e em São José dos Pinhais. “Nesse caso é para investigar envolvimento de pessoas que poderiam estar armadas, apenas mandados de busca”, finalizou o comandante Ramos.

Encontre no site da AMAI

Assine nossa newsletter